NAS MÃOS

*** Compartilhar ***
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
5
(1)

<<< ENGLISH VERSION >>>

Leitura em voz alta automática:

NAS MÃOS

PARTE 1 DE 4

Imagina estar na frente do refrigerador da família Silva Sauro. A porta está fechada. Imagina também que as únicas coisas vivas além de ti são seres irracionais. Quando abrires a porta do refrigerador, sairão várias mãos querendo te pegar.

Agora, imagina essas mãos saindo do refrigerador e transitando por toda a cozinha. Elas se espalharão pelo ambiente como uma substância gasosa, ocupando todos os espaços livres.

Depois de ocuparem esses espaços, essas mãos se adaptarão de acordo com a área ocupada. Considerando formato, estado, temperatura, pressão, força da gravidade… Finalmente, elas se plastificam.

PARTE 2 DE 4

Essa foto aí de cima é a evolução de um salto em distância. Ela mostra três fases diferentes do mesmo salto. O que vou dizer agora é fundamentado apenas na minha vivência. Ou seja, não tem valor científico nenhum. No entanto, pra mim, a correspondência do que vou dizer com o tráfego das informações contidas nos neurônios é exata.

Bem, aí vai mais uma das loucuras que rolam na minha cabeça. Mais parecem bruxarias. As mãos que saem do refrigerador da família Silva Sauro correspondem às informações contidas nos neurônios, os compartimentos que guardam as mãos são os neurônios. O refrigerador é o cérebro e a cozinha são os estímulos externos (visuais, auditivos, olfativos…).

PARTE 3 DE 4

É bom lembrar que a neurociência trata o cérebro como um músculo, tanto no tratamento de deficiências neurológicas como no desenvolvimento. Também é bom lembrar que todos os órgãos do corpo são comandados pelo cérebro, inclusive os sentimentos manifestados pelo coração.

Precisamos das coisas que têm dentro do refrigerador. Mas antes de abri-lo, prepara cuidadosamente a cozinha antes, senão vai dar problema. Cuida da limpeza do cenário, pois, a criatividade está nas mãos. Se o que eu disse parecer papo furado, faz o seguinte: acorda mais cedo que todos e vai pra cozinha. No primeiro dia, abre a porta do refrigerador sem preparar nada. No segundo dia, lava a louça, limpa a mesa e abre o refrigerador.

A partir do terceiro dia, vai tirando os estímulos externos desnecessários para o objetivo a ser cumprido pelo refrigerador. Mas só tira as coisas desnecessárias constatadas no dia anterior, nào mais. Cozinha a melhora em fogo baixo. Perceberás as diferenças só depois que todos acordarem. Aí, ficará claro o que ê desnecessário. Mas, pra tirar o desnecessário, não compra nada, usa só o que tem em casa.

PARTE 4 DE 4

A beleza da evolução do salto da foto é de cair o queixo. Essa apreciação acontece em poucos segundos, mas o saltador precisou de muito café da manhã para conseguir essa plasticidade.

Paulo Ricardo Silveira Trainini

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *