ARO

Leitura em voz alta automática:

ARO

1 – 3 ———————————————–

Ao sentir a aproximação de uma ideia foco, tipo uma inspiração sem tradução textual, o que eu faço é desenhar o que sinto sem escrever nada.

Nessa hora, o ideal é que os estímulos visuais e auditivos percebidos pelo consciente sejam reduzidos ao máximo. Mas quando eu não tenho condições de fazer isso, tipo no meio de um trânsito caótico, eu lanço mão de um truque que já usei inúmeras vezes, com sucesso.

O truque é, além de não escrever nada, eu não desenho. Apenas procuro me lembrar de um fato desagradável da minha infância que posteriormente fortificou a minha mente.

Por exemplo, logo que eu aprendi a andar de bicicleta, eu prendia o pé no aro da roda frequentemente. A medida que eu fui melhorando o equilíbrio e parando menos vezes para me equilibrar novamente, foi diminuindo as vezes que eu prendia o pé no aro. Até que não mais prendi o pé. E quanto mais prática eu pegava, menos eu me preocupava com isso e dava mais atenção para pedalar da maneira mais eficiente possível. Quando eu percebi essa relação, eu dominei a bicicleta mais rápido que o normal.

2 – 3 ———————————————–

Quando eu fui morar em Brasília – DF, eu estava na metade da primeira série. Logo que cheguei lá, a mãe me botou numa escola. Já nos primeiros dias, a professora aplicou uma prova.

As questões eram escritas. Mas eu ainda não tinha aprendido a ler. Quando eu vi a prova com aquele monte de letrinhas extraterrestres, eu arregalei os olhos e a fúria me dominou. A única coisa que eu sabia escrever era “não sei”. Então, respondi tudo com “não sei”. Lá, os alunos já tinham aprendido a ler e escrever na pré-escola.

Isso resultou numa reunião entre eu, a professora, a diretora da escola e a do SOE e a minha mãe. Depois desse episódio amargo, eu entrei no ritmo dos outros naturalmente e mais rápido que o previsto. Por fim, todos viveram felizes pra sempre…

3 – 3 ———————————————–

Uma vez um sábio chinês sonhou que era uma borboleta. Quando acordou ficou na dúvida se era um homem que tinha sonhado que era uma borboleta ou se agora é uma borboleta que tá sonhando que é um homem.

Se, durante um episódio amargo, tu rabiscares algo e achares pura bobagem, não joga fora esse rabisco. Pois, pode ser útil depois para fortificar a mente.

———————————————————————

Paulo Ricardo Silveira Trainini

8 ideias sobre “ARO

  1. Quero muito agradecer pelas otimas informações passadas aqui nesse conteudo. Sempre buscos coisas para contribuir assim é sempre tenho dificuldades. Valeu mesmo.

  2. Hi, i think that i saw you visited my web site so i came to “return the
    favor”.I’m trying to find things to improve my web site!I suppose its ok to use some
    of your ideas!!

  3. Hello i am kavin, its my first time to commenting
    anywhere, when i read this paragraph i thought i could also create
    comment due to this good post.

  4. You actually make it seem so easy along with
    your presentation but I in finding this matter to be really something which I feel I’d
    never understand. It sort of feels too complex and extremely broad for me.
    I’m taking a look forward in your next post,
    I will try to get the cling of it!

  5. Greetings from Colorado! I’m bored to tears at work so
    I decided to check out your site on my iphone during lunch break.
    I love the information you present here and can’t wait to take
    a look when I get home. I’m amazed at how quick your blog loaded on my phone ..

    I’m not even using WIFI, just 3G .. Anyhow, wonderful site!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *